Tendências do ecommerce em Portugal

Autor
Belo Digital
Publicado a
Tendências do ecommerce em Portugal
Tendências do ecommerce em Portugal

Há muito que o ecommerce se tornou numa estratégia fundamental na sobrevivência das empresas. No entanto, foi necessário um fenómeno a nível mundial para colocá-lo como parte fulcral de qualquer empresa. Os números vêm provar que este veio para ficar e, em alguns casos, substituir a venda física.

Segundo a GlobalWebIndex, ¾ dos utilizadores da internet, entre os 16 e os 64 anos, efetuam uma compra online todos os meses. Já o Statista, que analisa as vendas do comércio online a nível mundial, concluiu que os valores de vendas de 2019 para 2020 aumentaram significativamente, com destaque para Moda e Beleza, com mais de 620 mil milhões de dólares de transações.

Contudo, ainda há muito a fazer no ecommerce português, que apresenta algumas tendências muito interessantes.

Mais compras com maior valor médio

Um estudo efetuado pelos CTT, entre julho e setembro de 2020, mostra que, em Portugal, o número de compras médio (em produtos) foi de 19,5, mais 3,8 que no ano anterior e, mais importante, gastaram em média 56,6 euros por compra, mais 5,5 euros que no ano anterior. Ou seja, os portugueses estão a comprar e gastar mais online, e com mais frequência.

Preços e promoções são as razões

As razões que levam os portugueses a comprar online prendem-se com o preço e as promoções. Os preços mais baixos são mesmo o principal motivo, pois, por norma, são inferiores aos praticados em lojas físicas. As promoções, como é exemplo a Black Friday, é a segunda razão, mas estima-se que seja ultrapassada por uma bem mais surpreendente: a possibilidade de comprar a qualquer hora. Isto significa que os consumidores portugueses estão a deixar de reparar só no preço e a ter em conta o processo de compra.

O site da marca como meio de pesquisa

Mais que os motores de busca, os consumidores estão a utilizar os sites das marcas para procurarem pelos produtos desejados. Tal vem acentuar a importância de as marcas estarem presentes online e com um site funcional, apelativo e preparado para este tipo de pesquisas. Até porque as razões que levam os consumidores a abandonar a pesquisa, para além do preço elevado, são pouca informação sobre os produtos, processo de venda e de devoluções.

Segurança acima de tudo

Para além do preço, este é o principal aspeto que leva à fidelização de um cliente na loja online. A segurança na compra, seja pelos métodos de pagamento seguros, seja pela experiência de compra anterior, são razões fundamentais para a fidelização. As entregas continuam a ser um dos aspetos fundamentais na compra, e os utilizadores abandonam o carrinho quando não ficam satisfeitos com o prazo de entrega previsto ou com informação insuficiente. Em relação aos métodos de pagamento, o Paypal continua a dominar, mas a referência de Multibanco e o MB Way estão a evoluir rapidamente.

O que se projeta no futuro

Segundo o estudo dos CTT, entre 41-45% dos consumidores pretendem aumentar a frequência de compras online, bem como o valor médio.

Outro dado importante é que 85% dos consumidores desejam comprar em sites localizados em Portugal, dada a incerteza causada pela pandemia. Já para quem vende, cerca de 70% esperam aumentar as vendas, principalmente no mercado ibérico, e 64,3% pensam utilizar as redes sociais para aumentar as vendas.

O ecommerce já não é uma opção, mas sim uma vertente essencial para uma marca garantir a sua sobrevivência num futuro próximo. Vender online é crucial, contudo, é necessário projetar e construir bem, para vender melhor. Lojas com segurança, informação necessária, preços competitivos, experiência de utilizador positiva são pilares para fidelizar e captar novos clientes. Se necessita de uma loja online, a Belo Digital pode ajudar. Contacte-nos.

Subscreva a
nossa Newsletter